Mr. Meeseeks e a dor da existência

Rick and Morty é uma série animada de comédia, baseada em um mundo de ficção científica. Criada por Dan Harmon e Justin Roiland, foi lançada em 2013 pelo canal Adult Swim. Seus episódios também podem ser encontradas na plataforma de streaming Netflix.

Os Smiths acabam por protagonizar a comédia, onde Rick, um cientista alcoólatra e avô da família sempre convence Morty, neto de 14 anos, a se envolver em diversas aventuras através do universo, seja buscando novas tecnologias ou drogas para o consumo do velho. Além dos dois personagens, também temos Jerry, genro de Rick; Beth, filha de Rick e mãe de Morty e, por fim, Summer, filha mais velha de Jerry e Beth, consequentemente, neta de Rick e irmã de Morty.

Em um episódio em particular, Rick estava cansado das reclamações da família sobre não conseguir resolver problemas básicos como abrir um pote de comida. Para isso, o cientista apresenta a “Meeseeks Box”, que quando seu botão é ativado, dá vida a um Mr. Meeseeks, uma forma de vida alienígena que vive apenas para um propósito: resolver o primeiro pedido de quem o conjurou. Rick, na sequência, alerta para que as solicitações sejam apenas de pedidos simples, pois os Meeseeks não são “deuses”.

Os primeiros pedidos de Summer, Beth e Jerry são, respectivamente, ser mais popular na escola, tornar-se uma mulher mais plena e melhorar as habilidades no Golf. Os dois primeiros pedidos são concluídos, mas o de Jerry leva mais tempo, pois sua habilidade com esportes é muito ruim. A primeira crise existencial do Meeseeks é a conclusão de que ele é um ser horrível, por não conseguir fazer o Jerry melhorar sua habilidade no Golf. O extraterrestre chega a conjurar um novo Meeseeks.

O propósito existencial do alienígena da Meeseeks Box é a morte. Quando a morte chega, significa que seu objetivo foi concluído e a realização da vida plena atingida. Inversamente aos seres humanos, que tentam fugir da morte em busca da eternidade, os Meeseks buscam o fim com a execução de uma tarefa.

O alemão Arthur Schopenhauer escreveu em sua obra “As dores do mundo” sobre a dor e o sofrimento como um sentimento imediato em nossas vidas! Particularmente concordo com Schopenhauer em suas afirmações, pois veja bem: os obstáculos da vida e suas dores acabam por nos permitir a existência, uma vez que sentimos, observamos e vivemos tais momentos. Sempre que sofremos, estamos cada vez mais inundados de vida, pois os sentimentos são a base da expressão humana. Existir é sentir dor. Sofrer é estar vivo.

Recomendo, após a leitura, ouvir e ler “Time” do Pink Floyd.

Open in Spotify