Uma das maiores dificuldades que eu percebo nos meus clientes é que eles não sabem escrever sobre si mesmos.

Na verdade, essa é uma tarefa super complexa. Pensa comigo, 99% do tempo (a não ser que você esteja na frente de um espelho), você não se vê e está acostumado a interpretar e pensar sobre o que percebe ao seu redor. Raramente você para na frente do espelho e percebe, naquele momento, quem é você.

Uma coisa que eu gosto de fazer é uma adaptação da técnica de mindfullness. Basicamente o que essa técnica faz, é deixar a sua mente em um estado de atenção e consciência plena ao presente. Mas como isso pode ser usado para falarmos sobre nós mesmos?

A gente só precisa se atentar aos detalhes das nossas relações. Eu sou filho, irmão, namorado, amigo, genro, cunhado, prestador de serviços, aluno… Quais características positivas eu posso extrair de cada relação? Ficou difícil? É só perguntar para essas pessoas.

E você não precisa ter vergonha de assumir seus adjetivos. Nunca subestime o que você faz de bom. Nunca julgue as suas qualidades.

Tá vendo a imagem do post? É assim que a gente se percebe, quando não paramos pra entender sobre nós mesmos. Quase como uma névoa ao redor da nossa cabeça, que não nos deixa perceber quem somos.

Elimine isso. Aprenda a se conhecer, como você conhece os outros.

Aproveite.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *